Liga das Séries » Arquivos » Lana Parrilla fala sobre a volta da Evil Queen na finale de ‘Once Upon a Time’
evil queen regina ouat once
11
maio
2016
Lana Parrilla fala sobre a volta da Evil Queen na finale de ‘Once Upon a Time’

Ser uma heroína pode ser bem triste, querida! Além disso, as roupas são muito mais sofisticadas quando você é má. A finale da 5ª temporada de Once Upon a Time encontrará a personagem de Lana Parrilla, Regina Mills, voltando para o lado escuro da força e, mais uma vez vestindo seus trajes de Rainha Má para um episódio cheio de tensão.

“Eu amo a Regina prefeita, mas gosto muito mais de interpretar a Rainha Má”, admite Parrilla. “A luta constante entre a escuridão e a luz é o seu maior dilema.” E agora que seu amor verdadeiro, Robin (Sean Maguire), está morto, ela não será capaz de se conter. Mas a que custo? “Regina agora tem família e amigos, então realmente valeu a pena para ela ser boa, mas há uma parte dela que está farta de fazer a coisa certa e, francamente,” Parrilla diz com uma risada, “é muito demorado. Quando ela era má, ela poderia resolver um problema com estralando um dedo, enquanto que levaria aos heróis semanas para realizar a mesma tarefa. Eles tiveram que escalar montanhas – literalmente! – para conseguir fazer o mesmo trabalho. Mas Regina sabe que se ela atravessar a escuridão, mais uma vez, ela vai perder todos que ela ama”.

No topo da lista está o seu filho, Henry (Jared Gilmore), que está tão determinado a manter a mãe longe de voltar ao seu eu malvado que ele foge em uma missão para destruir a magia. “Do ponto de vista de Henry, a magia tem feito nada mais além de trazer prejuízos e sofrimento para o mundo”, diz Parrilla. “Se não há mágica, então ninguém pode criar maldições.”

Hmmm… poderia OUAT estar caminhando para uma 6ª temporada onde não há absolutamente nenhuma mágica e todo mundo tem que se comportar como meros mortais? Radical! Mas de volta para essa finale, Regina e Emma vão seguir o filho para Nova York, e assim como o Sr. Gold/Rumple (Robert Carlyle).

“As duas mães estão tentando parar Henry de destruir a magia e tentar parar Gold, que é o mais obscuro dos obscuros, de chegar a Henry”, diz Parrilla. “E isso é quando as frustrações de Regina e más tendências começam a aparecer. A coisa toda se transforma em um jogo da culpa real, com a Emma e Regina discutindo.’A culpa é sua que isso está acontecendo!’ ‘Não, a culpa é sua!’ Há muita emoção reprimida.”

Leia também



Parceiros