Liga das Séries » Arquivos » Julie Plec fala sobre a taxa de sobreviventes, romance e a cena difícil de assistir em ‘Containment’
Containment -- Image Number: CON1_CastShot_1743.jpg -- Pictured (L-R): George Young as Dr. Victor Cannerts, Claudia Black as Dr. Sabine Lommers, Christina Moses as Jana, David Gyasi as Major Lex Carnahan, Chris Wood as Jake, Kristen Gutoskie as Katie, Hanna Mangan Lawrence as Teresa and Trevor St. John as Leo -- Photo: Justin Stephens/The CW -- © 2016 The CW Network, LLC. All rights reserved.
19
abr
2016
Julie Plec fala sobre a taxa de sobreviventes, romance e a cena difícil de assistir em ‘Containment’

Não há sequer uma bruxa ou vampiro à vista no novo drama da CW, Containmet, da produtora executiva Julie Plec.

Depois de vários anos de trabalhando em séries sobre seres sobrenaturais, Plec está animada para explorar o mundo dos seres humanos normais que lutam para sobreviver a um surto viral mortal (enquanto estão a ser separados de seus entes queridos por uma quarentena).

“Eu gosto tanto porque é muito honesto”, diz Plec. “Eu não tenho que adicionar emoção ao diálogo. Eu nem sequer tenho profundar tanto no subtexto. Quando você está em uma situação como essa, você é apenas honesto. Você é cru e real.”

“Tem sido muito divertido de dizer, ‘Nós estamos em uma situação difícil, e não há nenhuma fórmula mágica para sair dessa”, ela continua. “Ou a medicina e ciência vão resolver o problema ou não vai ser resolvido.” Ao TV Line, Plec fala sobre o romance, a “profunda” contagem de mortes e mais.

O piloto abre com uma cena horrível e, em seguida, volta duas semanas. Qual é o cronograma durante a primeira temporada?

É cerca de 19 dias, tudo. Nós começamos no dia 13, e depois voltamos para o dia 1… E, então, terminamos a temporada no dia 19 ou 20. Portanto, é muito rápido. Até o final da temporada, você percebe que a crise está em curso. Então, se for renovada para uma segunda temporada, vai ser mais sobre “Nós sobrevivemos a primeira onda. Agora, como é que vamos sobreviver a longo prazo?”

Há uma grande quantidade de sangue. Que tipo de discussões que você tem com a rede sobre quanto pode mostrar?

Quando estávamos em preparação com toda a maquiagem, eu apenas disse: “Eu quero que seja real. Eu quero que seja fundamentada na ciência e na medicina”… Eu vou dizer que quando entreguei uma cena com um baço explodindo, nós fomos convidados a remover o Broadcast Standards [& Practices] porque sentiram que era muito gráfico. Eu só ri, porque eu corto a cabeça das pessoas em uma base diária nos shows de vampiros, mas o baço é muito gráfico. Essa foi a única conversa que tivemos.

Quando você tem um show onde as pessoas literalmente não podem se tocar – eles têm de ficar um pouco afastados por causa do vírus – como você faz o romance acontecer?

Esse é o maior obstáculo que um escritor poderia pedir para explorar. Não é, “Quando eles vão se beijar?” É, “Como eles vão se beijar?” Eles não podem. O poder de um novo relacionamento é na saudade e querendo algo que você não está recebendo como um fã. Você espera o tempo que você puder em um programa de televisão normal. Então, isso é como uma oportunidade para fazer as coisas acontecerem na aparente saudade e olhares desconfortáveis ​​e o silêncio entre os momentos, porque você não pode usar o seu físico para flertar. Então você tem que se conectar de maneiras que são mais puras e emocionais.

Chris Wood causou um boa impressão como Kai em The Vampire Diaries. Quando você soube que você queria que ele para este papel? E você conversou com ele sobre isso?

Ele estava na minha casa sobre o ano passado, no dia de Ano Novo, logo antes de o piloto ser escolhido. Eu mostrei a ele e meus amigos a série belga [em que Containment é baseada], e ele assistimos durante dois dias e ele me chamou e disse, “Isto é tão bom, e este personagem é tão bom. Eu quero isso.” Lembro-me de pensar: “Oh, Deus. E se ele não conseguir? Vou me sentir terrível.” Porque eu amo o Chris, acho que ele é brilhante e eu estava esperando ser capaz de trabalhar com ele novamente. [Mas] há mais nove pessoas que tomam decisões quando se trata de lançar um piloto. Você tem o diretor, o estúdio, a rede. Então eu tive que jogar esse delicado equilíbrio de: “Eu realmente quero que você faça parte”, mas na minha cabeça, eu estava tipo, “Se você não conseguir, ainda podemos ser amigos?” [Risos]

Eu me sinto mal pelo elenco, de certa forma, porque qualquer um pode morrer a qualquer momento no show. Como é a contagem de mortes? Vamos perder personagens regulares?

A contagem de mortes é profunda – os personagens recorrentes, as estrelas convidadas. Nós provavelmente temos mais de 25 a 30 personagens que conhecemos bastante ao longo da temporada que provavelmente eu posso dizer que menos de metade deles vai sobreviver para ver a 2ª temporada. Como isso aplica-se aos aos personagens regulares, eu não vou dizer porque eu não quero estragar. Mas a morte é uma presença constante no show.

Leia também



Parceiros